4 soluções para realizar o descarte de resíduos perigosos da forma correta

0
0 Flares Facebook 0 LinkedIn 0 Twitter 0 Pin It Share 0 0 Flares ×

Existem diversos tipos de resíduos, sendo que alguns são classificados como “perigosos”. Apesar do nome assustar, eles são mais corriqueiros do que a maioria supõe. Entre os resíduos de natureza perigosa estão baterias, pilhas, remédios vencidos, latas e cartuchos de tinta, resíduos hospitalares e muitos outros.

O descarte inadequado desses produtos pode gerar sérios transtornos, como a contaminação do meio ambiente e a propagação de problemas de saúde que afetam tanto a população humana como os animais.

É, portanto, de vital importância que os produtos já acabados e restos sejam descartados da forma adequada. Neste artigo, vamos mostrar 4 soluções para efetuar o descarte de resíduos perigosos corretamente. Que tal conferir?

1. Conheça os resíduos perigosos para diferenciá-los de outros tipos

Na introdução, citamos alguns exemplos de resíduos perigosos, mas vamos listar alguns resíduos que se encaixam nessa categoria. É importante para a separação e a coleta eficientes diferenciá-los dos resíduos não perigosos:

  •         Os restos de tintas, pois são inflamáveis e podem ser tóxicas;
  •         Os produtos químicos, pois podem ser tóxicos, reativos, inflamáveis, corrosivos;
  •         Os materiais hospitalares, pois são patogênicos e podem ser contaminantes (vírus, bactérias);
  •         Os produtos radioativos;
  •         As lâmpadas fluorescentes, pois têm metal pesado (mercúrio) que pode contaminar os seres vivos;
  •         As pilhas e as baterias, pois possuem diferentes metais, que podem ser reativos, tóxicos ou corrosivos.

Os resíduos hospitalares se dividem, por sua vez, em outros grupos: infectantes ou biológicos (excreções, sangue, membranas); químicos (remédios, desinfetantes, reagentes, substâncias usadas para revelar raio X, efluentes de equipamentos); radioativos (materiais originados de medicina nuclear ou radioterapia); perfurocortantes (bisturis, lâminas, agulhas, ampolas, escalpes, vidros) e resíduos comuns (restos de alimentos, gesso, luvas, botas).

2. Conscientize os funcionários sobre a necessidade da separação e descarte corretos

Os funcionários devem receber treinamento para saber lidar com esses produtos. O CONAMA (Conselho Nacional do Meio Ambiente) disponibiliza ajuda para que os hospitais e outras instituições de saúde realizem o plano de gerenciamento correto desses materiais. Por isso, indústrias e empresas que atuam no ramo da saúde devem, obrigatoriamente, utilizar esses serviços.

A partir da conscientização, é possível separar, coletar e dar o descarte de resíduos perigosos mais apropriado para os materiais inservíveis. Somente o conhecimento permite aos funcionários tomarem os devidos cuidados com a manipulação e o descarte produtos que envolvem riscos diversos.

descarte de resíduos perigosos

3. Aplique as melhores tecnologias para tratar e descartar resíduos perigosos

O tratamento e o descarte de resíduos perigosos variam conforme o nível de periculosidade. Por exemplo, eles podem ser incinerados, ou seja, submetidos a um processo de queima controlado que evita a emissão de gases poluentes para a atmosfera. Eles também podem ser submetidos ao coprocessamento, ou seja, podem ser tratados e reaproveitados pelas indústrias como matéria-prima ou combustível.

Mas novas tecnologias estão surgindo para dar uma destinação final segura aos produtos perigosos. Para resíduos hospitalares, por exemplo, é possível aplicar também a esterilização, purificando materiais infectantes. Uma tecnologia nova é a UPAC, que remove toneladas de resíduos dos aterros e transforma-os em fonte de energia sustentável, atendendo de forma integral à PNRS (Lei nº 12.305/2010). 

4. Contrate uma empresa especializada no descarte de resíduos perigosos

Para não ter nenhum tipo de problema com a legislação ou com a saúde dos colaboradores e de terceiros, o correto é contratar uma empresa especializada na gestão de resíduos perigosos. Ela realiza a coleta, o tratamento e o descarte mais adequados aos diferentes tipos de materiais perigosos. Além disso, oferece treinamento para os colaboradores.

A empresa especializada dispõe da infraestrutura necessária para realizar todos os processos e operações de gestão do lixo com segurança e eficácia, contando com as tecnologias mais avançadas para tratar os resíduos:

  •         A incineração;
  •         A blendagem para o coprocessamento;
  •         A esterilização;
  •         O desenvase de aerossóis;
  •         A manufatura reversa.

Somente a empresa especializada pode oferecer um trabalho confiável e conferir o descarte de resíduos perigosos conforme determina a legislação, sem o risco de causar impactos desnecessários sobre o meio ambiente.

Já conhece o trabalho da Silcon? Para saber mais sobre o que fazemos, siga as nossas páginas nas redes sociais: já estamos no Facebook e no LinkedIn.

Facebook
0 Flares Facebook 0 LinkedIn 0 Twitter 0 Pin It Share 0 0 Flares ×